Boa tarde, 16 de Outubro de 2018

MPF pede bloqueio de R$ 6 bi de Geddel, Eduardo Cunha e MDB

Quarta - 10/10/2018 - 10h00
Foto: Reprodução | Agencia Brasil

Os procuradores da força-tarefa Greenfield, do Ministério Público Federal no Distrito Federal, pediram ao Tribunal de Contas da União (TCU) a instauração de um processo de fiscalização e o bloqueio de cerca de R$ 6 bilhões de pessoas físicas e jurídicas investigadas nas operações Sépsis, Cui Bonoe Patmos. Os ex-ministros Geddel Vieira Lima e Henrique Eduardo Alves e o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha estão entre os alvos das operações citadas pelo MPF. Segundo o MPF, o bloqueio de bens também deve mirar o MDB, partido dos principais investigados nas operações. “No caso específico, em que há a demonstração cabal de direcionamento de parte dos recursos a campanhas políticas (de 2010 a 2014, inclusive) de membros de renome nacional do PMDB (aqui se destacam as campanhas presidenciais), a constrição patrimonial e financeira deve atingir o maior beneficiário das demandas e dos recebimentos ilícitos aqui descritos, qual seja, o antigo PMDB, atual MDB”, afirmam os procuradores no ofício que será encaminhado ao TCU. A abertura de tomada de conta e bloqueio de bens por parte do TCU, segundo o MPF, tem como objetivo mensurar os prejuízos à União causados pelos crimes praticados dos integrantes do MDB da Câmara dos Deputados na Petrobras, Furnas, Ministério da Integração Nacional, Caixa, Secretaria de Aviação Civil, Ministério da Agricultura e Câmara dos Deputados. De acordo com o MPF, “resta claro que inúmeras pessoas, físicas e jurídicas, foram beneficiadas com o esquema ilícito de pagamento e arrecadação de propina, que tem, indubitavelmente, como causa e consequência simultâneas, a manutenção do poder político pelo mesmo grupo criminoso, deturpando a lógica do sistema democrático”.

comentários


Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.