BUSCA PELA CATEGORIA "Brasil"

06 Janeiro 2018 - 19:42

Mais de 220 mil benefícios do Bolsa Família são cancelados ou bloqueados na Bahia

Foto: Divulgação

Mais de 220 mil pessoas tiveram o Bolsa Família bloqueado ou cancelado no estado da Bahia, após um cruzamento de dados apontar irregularidades no recebimento do benefício do governo federal. A Bahia é o segundo estado em número de cancelamentos e de bloqueios no programa. De acordo com relatório da Controladoria-Geral da União (CGU) e do Ministério da Transparência, divulgado na quinta-feira (4), o estado teve 170 mil cancelamentos e 55 mil bloqueios do benefício. Em todo o país, foram encontradas inconsistências cadastrais nos dados de 2,5 milhões de famílias. Pelas regras do Ministério do Desenvolvimento Social, tem direito ao Bolsa Família quem tem renda mensal familiar de até R$ 170 por mês. As pessoas que ganham entre R$ 170 e R$ 440 tiveram o benefício bloqueado. Já os que ganham acima de R$ 440 tiveram o benefício cancelado. Os órgãos realizaram cruzamento de dados de gastos e renda das famílias em busca de possíveis fraudes. Isso foi feito usando informações do Cadastro Único declaradas pelos beneficiários quando se inscreveram no programa e outros dados oficiais da base do Ministério da Transparência.

05 Janeiro 2018 - 12:08

Brasil: Percentual de famílias endividadas sobe para 62,2%

Foto: Reprodução

O percentual de famílias brasileiras com dívidas fechou 2017 em 62,2%, acima dos 59% de 2016. Os dados, registrados em dezembro, são da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), realizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) e divulgada hoje (5) no Rio de Janeiro. As famílias inadimplentes, isto é, com dívidas ou contas em atraso, ficaram em 25,7% em dezembro, acima dos 24% de dezembro de 2016. Já o percentual de famílias que declararam não ter condições de pagar as suas contas ou dívidas em atraso ficou em 9,7%, acima dos 9,1% de dezembro de 2016. A proporção de famílias que disseram estar muito endividadas ficou em 14,6%, mesmo resultado de dezembro de 2016. O tempo médio de atraso para o pagamento de dívidas foi de 64,3 dias em dezembro de 2017, superior aos 63,8 dias do mesmo período do ano anterior. Para 76,7% das famílias que possuem dívidas, o cartão de crédito permanece como a principal forma de endividamento, seguido de carnês (17,5%) e financiamento de carro (10,9%).
 

05 Janeiro 2018 - 11:59

Redução em idade mínima de saque do PIS/Pasep entra em vigor no sábado

Foto: Patrick Cassiano | Bahia Verdade

Entra em vigor neste sábado (6) a Medida Provisória (MP) que amplia o saque das cotas do antigo Fundo PIS/Pasep para homens e mulheres a partir de 60 anos. O benefício vale para quem foi cadastrado no PIS/Pasep antes de 4 de outubro de 1988. Antes, a idade mínima para saque era de 62 anos para mulheres e 65 para homens. Com a mudança, o governo estima que sejam feitos R$ 11 milhões de resgates, injetando R$ 21 bilhões na economia brasileira. O calendário de saques para a nova faixa etária será divulgado na próxima segunda-feira (8). Os recursos das cotas do PIS/Pasep começaram a ser liberados em outubro do ano passado para quem tem mais de 70 anos, aposentados e herdeiros. O valor total é de R$ 2,2 bilhões para aproximadamente 1,7 milhão de cotistas. A retirada de dinheiro segue disponível para esses grupos. Trabalhadores da iniciativa privada devem comparecer às agências da Caixa Econômica Federal. Já os servidores civis e militares devem procurar as agências do Banco do Brasil.


ENTENDA


O Fundo Pis/Pasep foi criado na década de 1970. Os empregadores depositavam mensalmente um valor proporcional ao salário dos trabalhadores em contas vinculadas aos funcionários, como ocorre hoje com o FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço).
Com a Constituição de 1988, os empregadores deixaram de depositar o dinheiro individualmente para os trabalhadores e passaram a recolher para a União, que destina o recurso ao FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador), responsável pelo pagamento de benefícios como seguro-desemprego e abono salarial.
Os valores depositados nas contas individuais no Fundo PIS/Pasep antes da mudança constitucional, no entanto, permaneceram lá. Os trabalhadores titulares dessas contas —ou seus herdeiros, no caso de morte do titular—podem sacar o saldo existente de acordo com os motivos de saque estabelecidos em lei. Um desses motivos é justamente a idade, que o governo já havia reduzido em 2017, de 70 anos para 65 anos (homem) e 62 anos (mulher).


COMO FUNCIONA


Quem pode
Tem direito ao saque quem trabalhou formalmente até 4 de outubro de 1988 e hoje atende a algum dos seguintes critérios:
- Aposentadoria
- Idade igual ou superior a 60 anos para homens e para mulheres
- Falecimento (dependentes podem solicitar o saque da cota)
- HIV-Aids (Lei 7.670/88)
- Neoplasia maligna - Câncer (Lei 8.922/94)
- Invalidez (com ou sem concessão de aposentadoria)
- Reforma militar
- Amparo Social (Lei 8.742/93): Amparo Assistencial a Portadores de Deficiência (espécie 87) e Amparo Social ao Idoso (espécie 88)
- Reserva remunerada
- For acometido de doenças ou afecções listadas na Portaria Interministerial MPAS/MS nº 2998/2001 (titular ou um de seus dependentes)
Data dos saques
Será divulgada no dia 8 de janeiro
Onde sacar
Trabalhadores da iniciativa privada sacam os valores na Caixa Econômica Federal; servidores públicos, no Banco do Brasil
Como sacar
- No caso da Caixa, quem tem até R$ 1,5 mil a receber poderá retirar o valor com a Senha Cidadão nos terminais de autoatendimento. Entre R$ 1,5 mil e R$ 3 mil é necessário ter o Cartão do Cidadão e a senha.
Valores acima de R$ 3 mil só poderão ser retirados nas agências bancárias. Quem tem conta corrente, Caixa Fácil ou poupança na Caixa terá o valor depositado diretamente nas contas
- O Banco do Brasil também depositará os valores diretamente na conta dos trabalhadores que já forem clientes do banco. Os demais precisarão fazer uma consulta do saldo e, em seguida, uma transferência bancária
Para consultar seu saldo
- Trabalhadores celetistas vinculados ao PIS devem buscar informações na Caixa
- Servidores públicos vinculados ao Pasep devem buscar informações no Banco do Brasil.
 

CONTINUE LENDO

04 Janeiro 2018 - 10:48

Nova ministra do Trabalho foi citada em delação da Odebrecht

Foto: Reprodução

A nova ministra do Trabalho, a deputada Cristiane Brasil (PTB), foi citada em delação da Odebrecht como beneficiária de caixa dois de campanha no valor de R$ 200 mil. Segundo a Folha de S. Paulo, em depoimento prestado ao Ministério Público Federal (MPF), o ex-diretor da empreiteira no Rio de Janeiro, Leandro Andrade, afirmou ter repassado a quantia à congressista em 2012, em um escritório no Rio – no ano em questão, ela concorria a uma cadeira na Câmara de Vereadores. O pagamento fazia parte, segundo ele, de um acerto prévio feito com o ex-prefeito Eduardo Paes (PMDB) e o deputado Pedro Paulo (PMDB). Os dois negam. Brasil é filha do ex-deputado cassado Roberto Jefferson, atual presidente nacional do PTB, que foi o primeiro delator do esquema do mensalão.

03 Janeiro 2018 - 21:23

Filha de Roberto Jefferson vai assumir Ministério do Trabalho

Foto: Reprodução

A indicação da deputada federal Cristiane Brasil (PTB-RJ) para ministra do Trabalho foi aceita pelo presidente Michel Temer. O nome dela foi levado ao presidente após uma reunião feita no Palácio do Planalto entre Temer e o pai dela, o ex-deputado Roberto Jefferson, presidente nacional do PTB, partido que detém o cargo. De acordo com o G1, Jefferson informou que a nomeação deve ser publicada na edição desta quinta-feira (4) do Diário Oficial da União, e a posse está prevista para a semana que vem. Ainda segundo o ex-deputado, condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no caso do Mensalão, Cristiane não vai ser candidata à reeleição para a Câmara. Com isso, pode permanecer no ministério até o fim do mandato de Temer. A titularidade da pasta está vaga desde que o ex-ministro Ronaldo Nogueira (PTB-RS) pediu demissão do cargo porque vai se dedicar à reeleição para deputado federal. O nome de Cristiane foi indicado após o ex-presidente José Sarney (PMDB-MA) vetar o deputado Pedro Fernandes (PTB-MA), que havia sido o escolhido do PTB para o posto.
 

27 Dezembro 2017 - 13:00

Mega da Virada: sorteio deste ano pode pagar R$ 280 milhões

Foto: Reprodução

O sorteio da Mega da Virada vai ser realizado no próximo domingo (31). O prêmio agora é de R$ 280 milhões para o apostador que acertar as seis dezenas. De acordo com a Caixa, a probabilidade de ganhar varia conforme o número de dezenas jogadas e o tipo de aposta realizada. Com um bilhete mínimo de R$ 3,50, por exemplo, a probabilidade de levar o prêmio é de uma em 50.063.860. Já para um volante com 15 dezenas, que é o máximo permitido, com o preço de R$ 17.517,50, a probabilidade de ficar milionário é de uma em 10.003. Os jogos podem ser feitos em qualquer lotérica do país até às 14h (horário de Brasília) do dia do sorteio.

22 Dezembro 2017 - 17:49

Com anuncio de Bandeira Amarela, energia vai ficar mais barata a partir de janeiro

(Foto: Patrick Cassiano | Bahia Verdade)

A bandeira tarifária nas contas de luz vai mudar entre janeiro e abril do próximo ano, com o fim do período das chuvas: de vermelha patamar 1, a mais cara, no valor de R$ 3 a cada 100 quilowatts/hora (KWh), passará a ser cobrada a amarela, de R$ 2 a cada 100 KWh. Segundo informações do jornal O Globo, a informação foi confirmada nesta semana pelo diretor-geral do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), Luiz Eduardo Barata. O gestor explicou que a mudança será possível com a melhoria no nível dos reservatórios das principais usinas, reduzindo a necessidade de usar as termelétricas – e consequentemente, reduzindo o custo. A estimativa do ONS é de que, caso o verão de 2018 repita o desse ano, com poucas chuvas, os reservatórios devem ficar alcançar 40% em abril, na Região Sudeste. Caso as precipitações aumentem e cheguem a 80% da média, as barragens devem estar com 51% ao fim de abril. 

20 Dezembro 2017 - 15:24

Governo Temer recebe aprovação de 6% da população; 74% desaprovam

Foto: Divulgação | Presidência

O governo do presidente Michel Temer foi considerado ruim ou péssimo por 74% da população, de acordo com a pesquisa CNI/Ibope. Já 6% consideram ótimo ou bom, 19% regular e 2% não sabem ou não responderam. O levantamento foi divulgado nesta quarta-feira (20) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). A pesquisa CNI-Ibope do quarto trimestre de 2017 foi realizada entre 7 e 10 de dezembro, com 2 mil pessoas em 127 municípios e revela a avaliação dos brasileiros sobre o desempenho do governo federal. No último levantamento, divulgado em setembro, 3% dos entrevistados avaliaram o governo como ótimo ou bom, 16% como regular, 77% como ruim ou péssimo e 3% não souberam ou não responderam. O levantamento também mostra o grau de confiança no presidente Michel Temer e a aprovação do governo em nove áreas de atuação, entre elas, saúde, educação, segurança pública e combate à fome e ao desemprego. A margem de erro é de 2% para mais ou para menos e o nível de confiança utilizado é de 95%.
 

20 Dezembro 2017 - 13:31

Brasil: Gastos com saúde crescem mesmo em meio à crise e atingem 9,1% do PIB

Foto: Reprodução

O consumo final de bens e serviços de saúde no Brasil cresceu em 2015, um dos piores anos da crise econômica, e atingiu R$ 546 bilhões, o equivalente a 9,1% do Produto Interno Bruto (PIB, a soma de todas as riquezas produzidas no país naquele ano). Desse total, R$ 231 bilhões (3,9% do PIB) corresponderam a despesas de consumo do governo e R$ 315 bilhões (5,2% do PIB), a despesas de famílias e instituições sem fins de lucro a serviço das famílias. Os dados fazem parte da Conta-Satélite de Saúde Brasil 2010-2015, que o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulga hoje (20), com informações sobre produção, consumo final e comércio exterior de bens e serviços relacionados à saúde, bem como informações sobre trabalho e renda nas atividades que geram esses produtos. Embora os gastos das famílias com saúde tenham sido superiores ao do governo, pouco menos de 50 milhões de pessoas têm plano de saúde no país – o equivalente a um quarto da população. A situação vem se repetindo nos últimos anos, segundo um dos responsáveis pela pesquisa, Ricardo de Morais. “Quando a gente junta os gastos com medicamentos com os relativos aos serviços, as famílias continuam gastando mais do que o governo. Se levássemos em conta somente os gastos com serviços de saúde, os do governo seriam maiores, mas como as famílias têm gastos bastantes razoáveis com a compra de medicamentos, os gastos das famílias são maiores do que os do governo”, afirma o pesquisador.

19 Dezembro 2017 - 10:46

Marcelo Odebrecht deixa a carceragem da Polícia Federal, em Curitiba

Foto: Divulgação

O ex-presidente do Grupo Odebrecht, Marcelo Odebrecht, deve deixar a carceragem da Polícia Federal nesta terça-feira (19) para cumprir prisão domiciliar. Herdeiro de uma das maiores empresas do país, o executivo foi preso em 19 de junho de 2015, como parte da 14ª fase da Operação Lava Jato, a Erga Omnes. Odebrecht foi condenado a 31 anos e 6 meses de prisão em dois processos, pelos crimes de corrupção ativa, lavagem de dinheiro e associação criminosa, mas vai deixar a prisão mais cedo em razão de um acordo de colaboração premiada firmado com a Procuradoria-Geral da República (PGR). Outras 76 pessoas ligadas à Odebrecht também foram envolvidas no acordo. De acordo com o G1, ficou estabelecido que Marcelo Odebrecht cumpra uma penal total de 10 anos, incluindo o tempo em que ficou detido no Paraná. Como já ficou 2 anos e 6 meses em regime fechado, agora o executivo deve cumprir 2 anos e 6 meses em regime fechado diferenciado (fica em casa e é monitorado por tornozeleira eletrônica); 2 anos e 6 meses em regime semiaberto diferenciado (pode sair de casa, mas deve se recolher durante a noite aos fins de semana e feriados, além de 22 horas mensais de serviço comunitário); 2 anos e 6 meses em regime aberto diferenciado (pode sair, mas deve passar os fins de semana e os feriados em casa). Para ter acesso à pena mais branda, Odebrecht teve que contar à Justiça o que sabia sobre os esquemas criminosos dos quais a empresa fazia parte e pagar multa de R$ 73,3 milhões - quitada em junho deste ano. Já a Odebrecht terá que pagar R$ 3,82 bilhões em multas, previstas em acordo de leniência firmado com autoridades do Brasil, Estados Unidos e Suíça.

19 Dezembro 2017 - 10:00

Trabalhador recebe amanhã a segunda parcela do 13º

Foto: Reprodução

A segunda parcela do 13º salário será paga nesta quarta-feira (20) para a maior parte dos trabalhadores que têm carteira assinada. Mas, ao pensar em como irá usar o dinheiro, o assalariado deve considerar que essa parte do bônus é menor do que a primeira. É na segunda parcela da gratificação de Natal que ocorrem os descontos da contribuição ao INSS e do Imposto de Renda, para quem tem remuneração mensal maior do que R$ 1.903,98. Por exemplo, um trabalhador com salário de R$ 3.000 recebeu R$ 1.500 na primeira parte do 13º, paga obrigatoriamente até o último dia 30 de novembro. Para esse funcionário, a empresa depositará a segunda parcela com o valor de R$ 1.112,55.

16 Dezembro 2017 - 20:51

Aumento de despesas e queda de receitas ameaçam sustentabilidade dos Correios

Foto: Patrick Cassiano | Bahia Verdade

Em apenas cinco anos, o patrimônio líquido dos Correios, ou seja, a diferença entre os ativos e o passivo, encolheu 92,63%. A conclusão é da Controladoria-Geral da União (CGU), que analisou os dados econômicos e financeiros da estatal relativos ao período de 2011 a 2016. Além da perda patrimonial, os resultados dos últimos seis exercícios fiscais já fechados apontam a deterioração da capacidade dos Correios saldarem dívidas no longo prazo; aumento do endividamento da empresa e sua maior dependência de capitais de terceiros. O resultado da avaliação da CGU enfatiza que, com prejuízos crescentes a partir de 2013, a empresa vem se revelando menos rentável. E que, além do "aumento exponencial" das despesas diretas, a sustentabilidade da empresa foi impactada pela "transferência elevada de recursos para a União, o que ocasionou" redução significativa na capacidade de investimentos na empresa no curto prazo". Entre as principais causas elencadas pelos analistas da CGU estão a queda no volume de correspondências transportadas e o que os analistas classificam como uma “defasagem” dos valores das tarifas cobradas pelos serviços.

Segundo o relatório de análise de gestão, a queda no volume anual de encomendas e objetos transportados é de, em média, 16,28%, enquanto a “defasagem” tarifária acarretou prejuízos na receita líquida de vendas e dos serviços, principalmente nos três últimos exercícios. Isso apesar de os valores das tarifas terem sido reajustados em 9% em dezembro de 2015, para recompor as perdas ocorridas entre junho de 2012 e junho de 2014, quando o aumento tarifário não foi aprovado. Os técnicos da CGU também apontam entre as causas do mau desempenho financeiro da empresa o aumento dos custos total com pessoal que, entre 2011 e 2016, aumentou de R$ 7,59 bilhões para R$ 12,35 bilhões. Um crescimento de 62,6%, ainda que, no período, o número de funcionários tenha subido apenas 0,43%, passando, segundo a CGU, de 114.972 para 115.469. Aos olhos dos técnicos da CGU, um custo que aumentou “vertiginosamente” foi o empenhado com indenizações e benefícios pós-emprego. Só em 2016, essas despesas consumiram cerca de R$ 201,7 milhões e R$ 410,36 milhões, respectivamente. Outros problemas encontrados a partir da análise das contas dos Correios foram o aumento de insumos necessários às operações da empresa e a redução em aplicações financeiras entre 2011 e 2016. Mas, principalmente, a “elevada transferência de recursos para a União” nos exercícios de 2011, 2012 e 2013, período durante o qual a empresa repassou, a título de dividendos e juros sobre capital próprio, um total de R$ 2,97 bilhões. Só em 2013, quando a empresa contabilizou um prejuízo de R$ 312,51 milhões, foram transferidos dos caixas dos Correios para a União cerca de R$ 401 milhões em dividendos. Para os técnicos da CGU, isso levou “a uma redução drástica da capacidade de investimento da empresa e da sua viabilidade econômica e financeira”. Considerada a distribuição do valor adicionado, que indica entre quem e como são compartilhados os resultados financeiros, percebe-se que o governo é o segundo setor que mais absorveu recursos distribuídos no período analisado, ficando atrás apenas da remuneração ao trabalho, que engloba gastos com salários, honorários, benefícios e encargos sociais.
 

CONTINUE LENDO

11 Dezembro 2017 - 17:42

Tiririca usou dinheiro público para viajar a locais em que faria shows de humor

Foto: Nilson Bastian/Câmara dos Deputados

Ao discursar pela primeira e última vez na tribuna da Câmara no último dia 6, o deputado federal Tiririca (PR-SP) afirmou que deixaria a política "triste para caramba" e "com vergonha" pelo o que acontece no Congresso. No entanto, o parlamentar usou dinheiro público para comprar passagens aéreas para ele e seus assessores, com destino a locais em que se apresentaria como humorista. A informação foi publicada inicialmente pelo jornal "Correio Braziliense" e confirmada pelo GLOBO. O recurso para financiar as viagens de Tiririca saiu da cota parlamentar, "destinada a custear os gastos dos deputados exclusivamente vinculados ao exercício da atividade", conforme consta no site da Câmara. Portanto, é permitido que o congressista use a verba para pagar passagens relacionadas ao mandato. Mas não para fins pessoais. Em 11 de agosto deste ano, o deputado pagou R$ 2.746,52 com destino ao Aeroporto Regional do Vale do Aço, em Ipatinga (MG). Naquele mesmo dia, Tiririca se apresentaria em Teófilo Otoni (MG), cidade próxima, às 20h30. Já no dia seguinte, 12, o show seria no próprio município de Ipatinga. O dinheiro da cota também foi usado para comprar passagens dos assessores de Tiririca. Em 6 de abril, Loianne Lacerda foi para Ilhéus, na Bahia. Tiririca também foi para a cidade baiana naquela data. Somadas, as passagens custaram R$ 2.205,58 (R$ 1.102,79 cada). O deputado se apresentou em Ilhéus dois dias depois (8 de abril). Mas já no dia seguinte à viagem, 7, teve show em Jequié (BA). E dia 9, Itabuna (BA). No dia 3 de maio, foi emitida uma passagem no valor de R$ 2.045,38 em nome de Loianne com destino ao Aeroporto Senador Petrônio Portella, em Teresina, capital do Piauí (PI). Tiririca se apresentou em Piripiri (PI), Picos (PI) e Teresina (PI) logo depois, nos dias 5, 6 e 7, respectivamente. Ainda em maio, dia 9, após as datas dos shows de Tiririca no Piauí, foi emitido um bilhete aéreo em nome de Loianne com destino ao Aeroporto de Aracaju, capital do Sergipe. A passagem custou R$ 2.027,69. E naquela mesma data, o deputado também teve um bilhete emitido para si, com o mesmo destino, por R$ 1.785,69. Dia 14, apresentou-se em Aracaju. Já João Júnior, também assessor de Tiririca, teve bilhete aéreo emitido no dia 6 de outubro. O voo saía do Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, com destino a Brasília. Naquele mesmo dia, Tiririca tinha apresentação prevista para 21h na capital fluminense. A valor da passagem foi R$ 934,90. O GLOBO entrou em contato com a assessoria do deputado e ainda aguarda resposta.

11 Dezembro 2017 - 11:00

Brasileiro não tem paciência para poupar dinheiro, mostra estudo

Foto: Reprodução

O brasileiro é imediatista e tem baixíssima tendência à poupança, mostram cálculos inéditos feitos a partir de levantamento do Datafolha. Eles medem o excesso de peso dado ao presente -o que os economistas chamam de "present bias", ou, em termos simples, imediatismo. O resultado do estudo é relevante para a formulação de políticas públicas, porque indica a resistência das pessoas a abrir mão de consumo no presente em troca de poupar e elevar recursos no futuro. O levantamento mostra ainda que 65% não poupam para o futuro —mesmo entre os mais ricos, cerca da metade não faz reservas. Uma explicação é que há pouco incentivo para poupar porque aposentadoria e FGTS repõem ou superam a renda atual na maior parte dos casos, segundo o professor do Insper Ricardo Brito, especializado em finanças e decisões de poupança. O problema é que a reforma da Previdência deve reduzir benefícios e adiar sua obtenção, elevando a importância da poupança particular e voluntária. E o estudo mostra o brasileiro despreparado para isso, seja por ignorância, seja por imediatismo.

11 Dezembro 2017 - 10:44

Professora é morta a facadas por ex-namorado de 17 anos

Foto: Reprodução

Um adolescente de 17 anos foi apreendido suspeito de matar a facadas a ex-namorada, a professora Sidiney Rodrigues Carneiro, de 48 anos, em Águas Lindas de Goiás, no Entorno do Distrito Federal. De acordo com a Polícia Militar, testemunhas disseram que o menor invadiu a casa da vítima e a matou com mais de 10 golpes de faca. O assessor de comunicação da PM, o tenente-coronel Marcelo Granja, informou ao G1 que o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado, mas quando chegou ao local constatou a morte de Sidiney. O crime ocorreu no sábado (9), no Setor 4 de Águas Lindas de Goiás. Segundo Granja, o adolescente arrombou a porta, mandou algumas pessoas que estavam com a vítima na casa irem para o quarto e levou Sidiney até a cozinha, onde ela foi assassinada. O menor foi apreendido horas depois, enquanto caminhava no Setor 2 da cidade, e, conforme a PM, confessou ter matado a mulher. Junto com ele foram apreendidos um notebook e uma arma de fabricação caseira. Testemunhas disseram à polícia que os dois tiveram um breve relacionamento e tinham terminado há alguns meses. O G1 entrou em contato com a delegacia da Polícia Civil de Águas Lindas de Goiás, que informou que o caso foi registrado e é investigado pela corporação.